Author Archive for Thiago Bomfim

29
set
07

Como os pinguins me ajudaram a entender Deus

Comos os pinguins me ajudaram a entender Deus-Donald MillerDonald Miller não vem com nenhuma fórmula mágica para se tornar um cristão melhor, mas esse acaba sendo o resultado.

Livros têm que ser muito cuidadosos ao ensinar coisas para as pessoas, em especial livros de auto-ajuda, porque elas levam isso a sério, e o suposto aprendizado, acaba se tornado prática de suas vidas.

Donald Miller não ensina nada, e por isso o livro é muito bom. Ele apenas escreve experiências que teve ao longo de sua vida cristã. Como os pinguins me ajudaram a entender Deus da Thomas Nelson Brasil, parece mais com um blog impresso, do que com um livro que fica nas prateleiras de livros cristãos.

Ao longo das várias histórias, Miller mostra como o cristianismo começou a trazer-lhe a verdadeira paz, somente quando ele descansou, e quando o tornou a sua vida, não apenas uma parte dela.

O conflito do autor, será identificado por muitos, que assim como ele, compartilham as mesmas experiências.

As histórias são recheadas de bom-humor, verdades que não aceitamos, e muita sinceridade da parte de Donald Miller.

Algumas pessoas podem não identificar o livro a partir do título em português, para os mais informados trata-se de Blue Like Jazz, o best-seller que ficou 20 semanas na lista dos mais vendidos do New York Times.

Por Thiago [iPodJesus]

Anúncios
16
ago
07

Cristianismo Criativo?

Cristianismo Criativo? - Steve TurnerEste não é um livro que te ensinará técnicas inovadoras para aplicar, no grupo de teatro da sua igreja, também não é um livro que te ensinará envolver a igreja em um clima de louvor. Nada disso!

Cristianismo Criativo? da W4 Editora está mais para um tese que para um simples livro. É um daqueles que se compra pela capa, as folhas são de papel reciclado, e todo o acabamento é muito bem feito.

Steve Turner, o autor, escreve para a famosa revista Rolling Stone e ao mesmo tempo para a Christianity Today, além de colaborar com alguns outros jornais .

É possível como cristão criar algo que seja relevante para aqueles que não são cristãos? A nossa música com sua essência (letra) totalmente carregada de um conceito religioso, pode receber a atenção daqueles que nem mesmo acreditam na religião?

Turner não nega a cultura chamada cristã, mas ele acredita que ela não é suficiente nem para os próprios cristãos, menos ainda para aqueles que não são convertidos.

Algo interessante que Steve fala, é sobre atitudes intrusivas de pregadores que simplesmente lançam sua mensagem, ali no meio de pessoas que não querem ouvir aquilo que se está dizendo (pelo menos da forma como diz), e depois de lançar a sua suposta eficaz mensagem simplesmente oram para que tenha efeito!

O livro tem uma visão de que o nem todo o Cristão foi chamado para fazer arte com fins evangelísticos, fora isso, todo o Cristão foi chamado para ser cristão seja no meio dos estúdios de Walt Disney, no cast da Sony, ou em um artigo da Rolling Stone.

No final do livro, a melhor parte, existe um testemunho de pessoas que conseguiram ser cristãos, em uma cultura secular, sem negar a sua fé, e ainda sim produzir algo que fosse relevante para a nossa sociedade. Pessoas que conseguiram inserir o seu cristianismo, mas isso era interessante para o judeu, o budista, e até mesmo o ateu. Aos não-cristãos pareceu apenas bons valores, mas intimamente, os artistas estavam com a cruz no centro de tudo, mesmo não jogando isso na cara de todo mundo.

Para terminiar Steve Turner, fala de sua experiência pessoal e acima de tudo o conflito, em tentar aplicar isso a uma voz que fala de forma secular, mas que provém de um coração convertido. Acima de tudo vi no autor, uma pessoa que ama o Criador, a Criatura e a criação dela, que com certeza não está totalmente corrompida, e se estiver, Turner está disposto a denunciar isso, mesmo que não em cima de púlpito.

Saiba mais sobre o livro Cristianismo Criativo?.

Por Thiago [iPodJesus].

12
jun
07

O Grande Abismo

Que C.S. Lewis é genial, todo mundo sabe, mas como se isso já não fosse o bastante ele ainda usou toda a sua criatividade para o enriquecimento da literatura cristã. Autor dos 7 livros da série As Crônicas de Nárnia , o autor nunca teve receio de misturar mitologia à ilustração de sua obra, mesmo conhecendo, penso eu, toda a resistência dos leitores de sua época. Lewis, escrevia apenas pela missão, e isso lhe era prazeroso.

O Grande Abismo da Editora Vida é uma parábola, na qual o autor tenta de forma simples, como sempre, fazer com que as pessoas entendam o verdadeiro sentido do que é estar no paraíso, ou no inferno, aliás no livro os dois chegam a conviver juntos, não no mesmo espaço, mas no mesmo caráter.

No livro o autor trata de assuntos como a luta do velho homem com a nova criatura, a mudança e crescimento ao longo de uma caminhada na vida cristã.

Uma das citações mais famosas de C.S. Lewis se encontra nesse livro: Há dois tipos de pessoas: as que em submissão e amor, dizem a Deus “Seja feita a Tua vontade, e aquelas a quem o própio Deus diz: seja feita a sua vontade.

Por Thiago [iPodJesus].




"Só um livro é capaz de fazer a eternidade de um povo." - Eça de Queiroz

Assine o nosso Feed

categorias

Comentários

Publicidade

Blog Stats

  • 60,468 hits

Gospel Top Sites

Eu faço parte da Blogosfera Cristã